Machu Picchu 136 artigos
Astronomia inca
Clique para classificar o artigo

Astronomia e Calendário Inca

Os Incas, o maior império da América do Sul, foram uma das civilizações do antigo Peru que mais cultivou a astronomia. Eles foram capazes de definir as constelações, estrelas, a mudança das estações, o calendário agrícola e muito mais. A cidade de Machu Picchu, bem como outras cidadelas antigas, como Pisac ou Ollantaytambo, são geodesicamente alinhadas. Alguns de seus edifícios mais importantes, como o ‘Intihuatana’, representavam calendários astronômicos. Até hoje é possível ver esses edifícios na visita a Cusco e Machupicchu.



Inca Astronomy
As estrelas dos Incas

A importância da astronomia para os Incas

  • Para a civilização inca, a astronomia foi muito importante principalmente devido ao seu uso na religião e na agricultura.
  • Os incas podiam identificar os solstícios, equinócios, as mudanças de estação para melhor identificar a época de semeadura e colheita.
  • Durante o Império Inca, a distribuição urbana da cidade de Cusco imitou as constelações no céu. Assim, a cidade tinha a forma de um puma, onde a fortaleza de Sacsayhuaman era a cabeça do felino e o templo Coricancha, a cauda.
  • Finalmente, a religião inca foi baseada na astronomia. O panteão inca era formado pelo sol, a lua, as estrelas e muito mais.

Os Incas tinham uma religião politeísta. Seus principais deuses eram elementos do universo, como o sol, a lua, as estrelas, etc. O imperador inca era considerado o filho do sol. Outros deuses incas eram a terra, as montanhas, a lagoa, o raio, o rio e outros elementos da natureza. Para eles, o mundo era dividido em mundo superior ou dos deuses (Hanan pacha), mundo terreno ou dos vivos (Kay pacha) e mundo inferior ou dos os mortos (Uku pacha).


Constelações identificadas pelos Incas

  • Ao observar as estrelas, os incas identificaram que as constelações se assemelhavam aos animais e coisas de sua vida cotidiana. Assim acreditavam que o deus Wiracocha (deus criador do mundo) havia dado a cada animal, pássaro e ser vivo uma estrela correspondente que o protegia.
  • Os Incas identificaram 2 tipos de constelações: a primeira formada por estrelas que, quando conectadas, criam imagens de animais e deuses. O segundo tipo era formado pelas manchas escuras da via láctea. Essas manchas escuras eram consideradas constelações animadas, que tinham vida.
  • A via láctea era considerada um imenso rio astral, representado na terra pelo rio ‘Mayu’, que era a fonte de água para a vida. De acordo com a visão de mundo inca, o céu e a terra estavam conectados.

As constelações identificadas pelos Incas foram:

  • Mach’acuay: a serpente.
  • Hanp’atu: o sapo.
  • Yutu: a perdiz.
  • Urcuchillay: a chama.
  • Atoq: a raposa.
  • Chakana: o Cruzeiro do Sul.

O calendário inca

  • A observação astronômica fez os Incas conceberem um ano solar composto por 12 períodos, cada um com 30 dias (3 semanas de 10 dias). Segundo alguns cronistas, o último dia desse período era considerado o ‘qhatu’ (dia da feira) em que os produtos podiam ser trocados.
  • O início do ano inca dependia de cada região do império. Na cidade de Cusco (capital do império ou Tahuantinsuyo) o ano começou em agosto, data que coincidiu com o início da atividade agrícola.

Os meses do ano Inca foram:

  • Raymi (dezembro): A grande Páscoa do Sol, a cerimônia ‘Huarachicuy’.
  • Camay (janeiro): penitências e jejuns dos incas.
  • Jatunpucuy (fevereiro): Mês das flores em que foram feitos sacrifícios e oferendas com enormes quantidades de ouro e prata.
  • Pachapucuy (março): mês de chuva em que os animais foram sacrificados.
  • Arihuaquis (abril): Amadurecimento de milho e batatas (principais alimentos do povo Inca).
  • Jatuncusqui (maio): Mês da colheita.
  • Aucaycusqui (junho): Festa em homenagem ao deus sol (Inti Raymi), coincide com o solstício de inverno.
  • Chaguahuarquis (julho): Mês em que foi realizada a distribuição da terra e a preparação para o plantio.
  • Yapaquis (agosto): Mês da semeadura.
  • Coyaraymi (setembro): Festival em homenagem à Coya (rainha) e para expulsar espíritos malignos e doenças.
  • Humaraymi (outubro): Tempo para a invocação das chuvas.
  • Ayamarca (novembro): Hora de adorar os mortos.

Observatórios astronômicos inca

  • Os incas construíram muitos observatórios astronômicos em todo o seu vasto império, que abrangia partes dos atuais Peru, Bolívia, Equador, Chile, Argentina e Colômbia.
  • Geralmente, os observatórios astronômicos ficavam em templos e no topo de montanhas. Estar perto do céu permitiu aos incas ter uma visão melhor do céu e, ao mesmo tempo, estar perto de seus principais deuses: o sol, a lua, as estrelas, as montanhas.
  • Para observação astronômica, seja para fins religiosos ou agrícolas, os incas usavam relógios de sol (Intihuatana), espelhos d’água, mirantes no topo das montanhas e muito mais.
  • Alguns dos mais famosos observatórios astronômicos incas são: a montanha Machu Picchu, a montanha Huayna Picchu, o Intihuatana de Machupicchu, o Intihuatana de Pisac e, recentemente descoberto, o observatório astronômico no local de Tambo de Huánuco Pampa (em o atual departamento de Huánuco).

Astronomia e agricultura inca

  • Os Incas fizeram uma investigação prática do movimento solar para melhor organizar o período de semeadura e colheita.
  • O calendário inca era baseado na agricultura. Assim, os dias foram divididos de acordo com a observação do sol e da lua. Cada mês tinha sua correspondência com a semeadura, colheita ou outra atividade agrícola. Por exemplo, todo equinócio de inverno (quando o sol está mais próximo da terra) os incas celebravam seu maior festival religioso, o Inti Raymi (festival do sol)
  • Graças à observação astronômica (previsão de chuvas e secas), os Incas conseguiram um importante sistema de plantio e colheita que abastecia todo o império. Os principais alimentos foram: batata, mashua, oca, olluco, milho, batata doce, feijão, quinoa, etc.

Astronomia e religião inca

  • A religião inca foi baseada na astronomia porque estava intimamente ligada às estrelas do céu. O principal deus dos incas era o sol (Inti na língua quíchua). Da mesma forma, eles também adoravam a lua (Qilla), as estrelas (chaskas) e o relâmpago (Illapa). De acordo com sua visão de mundo, cada elemento da terra tinha sua correspondência na via láctea.
  • Os Incas acreditavam que o mundo dos deuses estava no céu ou firmamento (o Hanan pacha). Os outros mundos eram compostos pelo Kay pacha (mundo terrestre) e pelo Uku pacha (o mundo abaixo ou dos mortos).
  • O principal templo religioso inca, o Coricancha tinha santuários para cada um dos deuses como como sol, lua, estrelas, relâmpagos, etc. Deste templo, localizado no centro de Cusco, os machados ou ‘ceques’ partiam em linha reta. Com a observação astronômica, os incas agruparam esses ‘ceques’ com os ‘huacas’ ou santuários religiosos mais importantes de todo o império.

Fotos: Astronomia inca


Alguns fatos sobre a astronomia inca

Além dos Incas, todas as culturas do antigo Peru fizeram observações astronômicas principalmente para fins agrícolas. Algumas das mais importantes foram as culturas Chavín (1.200 AC – 400 AC), Mochica (150 DC – 700 DC) e Nazca (100 DC – 800 DC). Esta última cultura é famosa por suas ‘Linhas de Nazca’, um enorme observatório astronômico no deserto.

De acordo com pesquisas recentes, Machu Picchu era uma cidade inca, centro agrícola, centro religioso, mas também um observatório astronômico. Isso é demonstrado pelos observatórios localizados no topo das montanhas Huayna Picchu e Machupicchu, bem como a construção de um Intihuatana no meio de um centro religioso. Os incas precisavam desse observatório para prever a época de semeadura e colheita.

Os incas tinham muitos feriados relacionados ao trabalho agrícola e ao movimento do sol. Por exemplo, o Inti Raymi (festival que coincide com o solstício de inverno) e o Qhapac Inti Raymi (festival que coincide com o solstício de verão).


Perguntas freqüentes sobre astronomia inca

  • 1) Como o ano foi dividido de acordo com a astronomia inca?

    Os astrônomos incas conceberam um ano solar composto de 12 períodos, cada um com 30 dias (3 semanas de 10 dias).

  • 2) Que descobertas os incas fizeram na astronomia?

    Os incas descobriram as constelações (como o Cruzeiro do Sul), dividiram o ano em doze meses de 30 dias e aproveitaram a observação astronômica para escolher a época correta para plantar e colher no império.

  • 3) Como os Incas conseguiram prever os ciclos astronômicos?

    Com a simples observação do céu, os incas podiam identificar os solstícios, equinócios, as mudanças de estação para melhor identificar a época da semeadura e da colheita.

  • 4) Por que os incas adoravam o sol?

    Os incas adoravam o sol como a estrela mais importante para a colheita e o plantio. Em seus mitos e lendas, Manco Cápac (o fundador da dinastia inca) era filho do sol.

  • 5) Que constelações os incas descobriram?

    Os incas descobriram constelações às quais se assemelhavam aos animais e figuras de seu ambiente. São eles: Mach’acuay (a cobra), Hanp’atu (o sapo), Yutu (a perdiz), Urcuchillay (a lhama), Atoq (a raposa) e o Chakana (o cruzeiro do sul).

  • 6) O que são os intihuatanas? Como os incas a usavam?

    Os intihuatanas eram relógios de sol que previam a posição do sol. Assim, os incas puderam prever a época correta para plantio e colheita.

  • 7) O que foi o Inti Raymi? Que relação tinha com a astronomia?

    O Inti Raymi era a ‘Festa do Sol’, a celebração em homenagem ao deus Inca. Era comemorado todo equinócio de inverno (quando o sol está mais próximo da terra). Até hoje, o povo de Cusco celebra esta festa de origem inca (todo 24 de junho).

  • 8) Como foi dividido o calendário inca?

    Os Incas concebiam um ano solar composto de 12 períodos, cada um com 30 dias (3 semanas de 10 dias).

 

Por Ticket Machu Picchu – Ultima atualização, agosto 27, 2022

 


Travel agent
Help